História da Direção


UM POUCO DA TRAJETÓRIA TEATRAL DE RAQUEL OLIVEIRA OU RAKBRU.
Certo dia, por volta de abril do ano de 2003, me deparei comigo mesma, em um determinado lugar, fantasiando o que no futuro seria minha primeira Peça Teatral: A PLEBEIA. Naqueles dias, nunca pensei em estudar para tal coisa, afinal, eu não tinha noção do que poderia ser Arte Cênica. No dia seguinte, me encontrei com amigos, onde na ocasião, um deles me emprestou um livro que falava do tal nome, ARTE CÊNICA. Ao lê todo esse livro, que no momento não me recordo do autor, fiquei alucinada pelo estudo, e foi ai que me veio a ideia de montar meu primeiro espetáculo teatral (detalhe, com pessoas da rua em que morava). Na época meu intuito era apresentar na festa de natal para os vizinhos, e foi ai que tudo começou. 
Esse plano não deu certo, ou deu pela metade, pois as pessoas que encenaram a Peça, desistiram, por serem muito tímidas, e foi ai que busquei informações de pessoas que trabalhavam em escola que pudessem me ajudar a tirar a timidez das mesmas. Mais uma vez, sem sucesso. Pois nossa cidade se encontrava em um caos de profissionais nessa área, mais não desisti, afinal de contas sou leonina e estes não desistem tão fácil. Amigos, vocês não tem noção no que virou minha vida naqueles anos. Me apaixonei pela arte e abandonei minha vida anterior, mais essa é outra história, bem, e fui correr atrás de um valor maior das pessoas que me rodeavam, PODERES PÚBLICOS. A luta fracassou ainda por mais durante um ano e meio, e não me cansava, pois passou de luta para capricho mesmo. Então foi no ano de 2004 que criei, meu próprio grupo teatral com alunos de uma escola da cidade. Lá trabalhávamos com minha própria direção, cenografia, figurinista e até Bilheteria e criei também minha própria OFICINA TEATRAL onde trabalhava com minha própria ideia, que era de imitar os movimentos dos animais. Assim formei o GRUPO DE TEATRO: THE LITTLE. Passamos a apresentar na rua onde morava, na escola onde disponibilizaram a sala para ensaios e foi no final desse mesmo ano de 2004 que através do convite de um amigo por nome de APARECIDO OLIVEIRA , conhecemos outros grupos da cidade, até então nunca visto por nós e eles também não sabiam de nossa existência. E foi assim que mais uma vez fui a luta. Como trabalhava com muitos adolescentes na época tinha eu de 25 a 26 anos, havia conflitos com os demais de outros grupos que tinham entre 13, 14 e até 17 anos. Mais era essa faixa etária mesmo. Então havia muitas intrigas e as vezes tinha que me afastar, pois meu trabalho era sempre voluntário. Cheguei a vender textos teatrais para ajudar em casa, outros tomavam meus trabalhos na cara de pau mesmo. Fiz apresentações pelos representantes do teatro de nossa cidade na época, nove noites do “NOVENÁRIO DE SÃO FRANCISCO” que acontece por aqui. Sem apoio, ficava difícil, naquele mesmo ano fui chamada para fazer parte do núcleo que ativava esses eventos, mais assim mesmo voluntária, fiz bastante intercambio entre Tarauacá e o município de Feijó. Mais era difícil desistir daquele mundo, no fundo minha alma chamava-se de Arte Cênica. Foi nesse meio tempo que comecei a ter problemas com a família, afinal tinha filhos e o único jeito era leva-los comigo ao mundo da fantasia. E foi ai que meus filhos também faziam parte de minha história teatral, fizeram vários trabalhos comigo, apesar de bastante pequenos, amava vê-los atuando, era lindo. Mais a realidade é que tinha que trabalhar, ganhar a vida pra eles. Mais adivinhem o que queria? Teatro, lógico, agora vi no ano de 2005 que tava no meu sangue, não saia mais, tinha medo de perder, ficar sem ensaios e ficar sem escrever seria a minha vida enterrada.
Então foi ai que conheci meu esposo, Bruno Vitorino. Um amor, em idéias, fantástico. Me apaixonei por ele em uma apresentação de um espetáculo teatral por nome ZUÃO. A partir daquele dia minha vida se transformaria para sempre, pouco nos apoiavam, ficávamos sofrendo, mais ele sempre foi apaixonado pela arte como eu, e foi ai que começamos a namorar. A paixão foi avassaladora, deixamos tudo para trás no ano de 2007, e nos casamos no ano seguinte 2008. Nossos trabalhos já estavam ficando no baú, no intuito de arrumarmos nossas vidas, para só assim, fazermos o que gostávamos, agora com o nosso próprio negócio. Meu filhos cresceram e a necessidade de escrever e dirigir meu grupo volta a tona, então a luta continuou no ano de 2009 a 2011 meu esposo passou a trabalhar através de um concurso público. No mesmo ano de 2009, passei a estudar através da Unopar, cursos de construção textual e administração de sistemas da web, com mais um pouco de conhecimento, foram abertas as empresas virtuais de Artesanatos e de Web Design na internet com o nome RAKBRU. Hoje com minhas peças na internet faço negócios e ganho dinheiro com os textos que escrevo, de 2009 a 2013 já são formam mais de 118 e-books mundo a fora e abrimos um blog que tem a maioria de nossos textos o nome é BAÚ FANTÁSTICO. Nossos blogs foram criados, com o objetivo de mostrar nosso interior, muitos dos meus textos são evangélicos, gosto muito de lêr a bíblia, afinal, meu HOBBY é esse. Bom galera, ai está um pouco da trajetória da diretora e escritora de textos teatrais RAQUEL OLIVEIRA.





Postar um comentário
Página inicial